terça-feira, 15 de junho de 2010

Não durmam em serviço

O resultado da partida entre o Brasil e Coréia do Norte hoje é uma clara advertência de que não se deve menosprezar o adversário, em que pese não ter este maior significância no futebol. Ou melhor, não tinha. Agora tem, e de sobra. Considerando-se o Brasil, com uma história riquíssima nas lides da bola em campo, a Coréia provou ser uma excelente equipe, e eu não arriscaria qualquer erro em dizer que, nesta partida de hoje, foi melhor que o Brasil. Pelo menos fazia o que sabia: correr em campo e impedir que nós ultrapassássemos a sua fortíssima zaga de seis jogadores. Uma muralha, melhor dizendo. E aquele jogador de número 9... o que era aquilo ? Parecia estar numa corrida de cem metros de Olimpíada. Um show. Mas o gol deles veio do número oito. E que gol. Melhor que ele, só o nosso primeiro, do Maicon, na verdade um gol que pôs por terra as leis da física. Mas não durmam em serviço, porque aí vem mais, e todos nós somos filhos de Deus.

3 comentários:

  1. A verdade é que ninguém pode dormir em serviço seja ele qual for :)

    ResponderExcluir
  2. O Brasil conseguiu superar a burocracia da marcação cerrada do tanque vermelho coreano. E não foi fácil. Cada brasileiro que tocava na bola apareciam 2 ou 3 coreanos. E todos eles têm a mesma cara. Mas a imagem final ficou por conta do número 9 que chorou copiosamente na execução do hino da Coreia do Norte. E o cabra nem norte-coreano é. Ele é japonês e joga em time do Japão e recebe a contrapartida em Yens e defende as cores do ditador por pura convicção política. Eu adoro esses paradoxos. Abraços

    ResponderExcluir
  3. Verdade, Maia, verdade verdadeiríssima. E como corria aquele número 9.

    ResponderExcluir